Um bom livro nem sempre é aquele que instrui

Pensar bem nos faz bem!

Alguns literatos reconhecem que o que define a qualidade de uma leitura é a sua capacidade de entreter. Um deles é o jornalista espanhol José Augusto Martínez Ruiz, nascido em 1873 e conhecido como Azorín. ‘As leituras que a gente faz em busca do saber não são, na verdade, leituras. As boas, a fecundas, as prazenteiras, são as que a gente faz sem pensar em instruir-se’, disse ele.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *